Fatinha

Archive for maio \31\UTC 2009|Monthly archive page

Que tal participar dessa enquete?

In humor on 31/05/2009 at 6:41 AM

Querido Brógui,

Se você participar dessa enquete estará automaticamente concorrendo a milhares de prêmios, que vão desde uma bola de meia a uma bola de gude, passando por um punhado de grama fresquinha retirada do Maracanã, chegando até a uma chuteira com pouco uso e sem chulé. Não perca essa chance!

Anúncios

O homem da minha vida

In humor on 30/05/2009 at 9:49 AM

         Querido Brógui

 O mês de maio nem acabou e o comércio já se movimenta para o dia dos namorados, o que me levou a realizar uma exaustiva pesquisa na revista Caras, pra ver que tipo de namoro está na moda. Constatei que o must agora é namorar caras mais novos. De preferência muuuuuito mais novos, seguindo o exemplo de minhas musas Elba Ramalho, Elza Soares e Suzana Vieira.

O único problema que detectei é que, tirando a média entre a diferença de idades das moças e seus respectivos, o homem da minha vida ainda não nasceu. Terei que esperar mais uns dez anos, mas já tenho tudo planejado para garantir o sucesso da minha empreitada.

Primeiro, acho que já vou fazer uma reserva. Do jeito que as coisas vão, uma década de antecedência é o mínimo necessário para me assegurar de que o produto estará disponível no momento certo. Já vou tratar de pedir à mãe do nascituro uma autorização por escrito pra eu dar uns pegas no moleque assim que ele completar a maioridade.

Enquanto isso, vou tratar de encher a burra de dinheiro para poder ter algum atrativo, já que quando chegar a hora do vamos ver, as pelancas estarão pra lá de caídas. Ou você acha que é melhor eu investir numas plásticas, nuns silicones, aplicar uns ácidos na cara, cair dentro de sessões diárias de drenagem linfática a partir desse ano?

Esqueci!

In humor on 25/05/2009 at 8:20 AM

Querido Brógui

Ultimamente, o verbo que mais conjugo é o “esquecer”. Na primeira pessoa, claro. Nem venha me pedir pra dar recado, nem queira que eu lembre o que comi no almoço, muito menos o número do seu telefone. Esqueça. Eu não vou conseguir executar a missão e você pode até ficar aborrecido comigo.

Ser esquecida tem suas vantagens. Por exemplo: não sou capaz de fazer uma fofoca. Não porque não queira, falar mal dos outros é bom pra caramba, mas porque eu simplesmente não consigo me lembrar do que me contaram pra poder passar adiante. Pode me confiar qualquer segredo. Quando eu disser: morreu aqui, morreu mesmo, até para mim. Bom para o mundo, menos uma fofoqueira.

Outra vantagem: não guardo mágoa. Eu até posso lembrar que eu fiquei chateada com alguém, mas depois de algum tempo, nem lembro o motivo, salvo se for algo gravíssimo que tenham me feito, mas isso, graças a Deus, é raro. Aí não tem sentido, né? Ponto para a humanidade, menos uma rancorosa no face da Terra.

Terceira vantagem: pode me pedir dinheiro emprestado à vontade. Não vou lembrar de cobrar. Em compensação, jamais me empreste, também não vou pagar. Para evitar neguinho me olhando de cara feia sem que eu saiba o por quê, eu não peço. Mais um gol no placar do planeta: menos uma caloteira habitando-o.

Quarta vantagem, posso ler o mesmo livro várias vezes, ver o mesmo filme várias vezes, tudo é novidade. Ponto para o mundo de novo. Pode me contar o final da história que eu não ligo, não vou lembrar, não vai estragar a surpresa. Aliás, tenho o hábito esquisofrênico de começar a ler tudo de trás pra frente. Quando chego no começo, começo tudo de novo pra conferir se entendi tudo.

Desvantagens? Muitas, mas nada que cause danos irreversíveis. Já travei a fila de mercado porque esqueci a senha do cartão, já dei parabéns atrasado, já me perdi tentando chegar a algum lugar que eu já tinha ido antes, já fiquei olhando com cara de lesada pro atendente da farmácia porque esqueci o nome do remédio, já troquei nome de pessoas…

De qualquer modo, como pretendo ainda viver mais alguns anos e quero garantir que ninguém vá me internar num sanatório qualquer, andei pesquisando uns remedinhos pra memória. Dizem que ginko biloba é tiro e queda. Vou fazer um teste e depois conto se surtiu efeito.

PS: obrigada mais uma vez pelas mensagens, telefonemas, emails e tudo o mais por ocasião do meu aniversário.

HOJE É MEU ANIVERSÁRIOOOOOOOOOO

In humor on 21/05/2009 at 9:25 PM

QUERIDO BRÓGUI

ESTOU GRITANDO COM VOCÊ PARA QUE NÃO ESQUEÇA DE QUE HOJE COMPLETO MAIS UM OUTONO DE VIDA E QUERO RECEBER MUITOS BEIJOS, MUITOS PARABÉNS, MUITA MENSAGENS, MUITOS TELEFONEMAS, MUITO CARINHO, MUITO TUDO DE BOM…

PS: Murphy já me presenteou com helicópteros da polícia dando rasantes no Morro dos Macacos e salva de tiros desde às seis horas da manhã, justamente no dia em que faltei ao trabalho e me propus a dormir até mais tarde.

Se gritar pega ladrão…

In humor on 17/05/2009 at 8:58 AM

            Querido Brógui

          Não fica um, meu irmão. Nem unzinho pra apagar a luz no final do expediente.

         Tudo bem, eu sei que prometi me alienar total. Acompanhei o fim do namoro da Deborah Secco com o Roger, a reconciliação e sei que marcaram casamento para o mês que vem. Também torci pela saúde do bebê da Cláudia Leitte, tadinho, com meningite. Não tô vendo novela (não decaí tanto assim), mas sei quem é o Raj. As botas de cano longo vão bombar nesse inverno e vai haver uma mostra do Yves Saint Laurent no CCBB, aqui no Rio. Gisele Bundchen casou duas vezes, na Igreja e no cartório, com o mesmo marido maravilhoso e com dois vestidos de noiva diferentes.

         Ignorei solenemente o escândalo das passagens aéreas, fingi que não ouvi o deputado Sérgio Moraes me dizer que está se lixando para minha opinião, também tampei os ouvidos para as desculpas esfarrapadas desses pústulas acerca da malversação do dinheiro público. Fechei os olhos para o sorriso do Batman, ex-policial, ora chefe dos milicianos que ocupam nas favelas o espaço que o Poder Público abandonou, ao ser preso e transportado de jatinho para um presídio de segurança máxima. Já tinha ficado meio cabreira ao ver que não tinha uma alma que pudesse assumir a relatoria da CPI do tal do castelo do deputado Edmar. Isso me cheira a rabo preso, coisa de comadre que não quer e não pode caguetar a outra porque esta sabe de todos os seus podres.

         Continuei firme no meu propósito de só tomar conhecimento da última dieta que a Juliana Paes fez para perder dois quilos e estou preocupadíssima porque achei esses dois quilos e fiquei com eles para mim.

         Mas, hoje, dei mole. Fui dar uma folheada na Veja e dei de cara com a declaração da Heloísa Xiita Helena, dizendo-se em paz com sua consciência mesmo tendo usado sua cota de passagem aérea para mandar seu filho viajar. Até, tu, Brutus? Pensava eu que os PSOL não iam me dar mais essa calça arriada. Tudo bem que o Gabeira já tinha partido meu coração ao confessar ter feito uso indevido das tais passagens, mas, sei lá, alguém poderia ser honesto nesse Brasil.

         Mas, fiquemos tranqüilos. O Lula garantiu que os poupadores não têm o que temer, podem continuar juntando seus trocadinhos que o Governo não vai lhe dar uma bola nas costas como fez o Collor, que, a propósito, ressurgiu das cinzas e é Senador da República (graças ao povinho de mierda que votou nele).

 

         PS : o must agora é usar muito rosa-choque com laranja.

Vá ver Wolwerine

In humor on 13/05/2009 at 11:25 AM

WolwerineQuerido Brógui

Fui ver o Wolwerine. Bem, não fui hoje, fui na pré-estréia, há semanas atrás. Isso quer dizer que não sou a melhor pessoa para dar dicas de programa, já que quando ela chega, não é mais novidade pra ninguém. De todo modo, se ainda está pensando se vale à pena gastar uns trocados, vá. Se não gostar do filme, tudo bem, deleite-se apreciando o shape do ator que protagoniza a fita. Ma-ra-vi-lho-so. Quando sair em DVD vou pegar só pra dar uns pauses e uns closes.

Mas, como nem tudo são flores no mundo maravilhoso de Murphy (no qual eu vivo), tinha que dar alguma zebra.

Estava eu sentadinha, atracada com uma pipoca mega e uma Coca Light mais mega ainda, quando vejo um gordo procurando lugar para sentar. Gordo não, desculpe. O politicamente correto é dizer “um pouco acima do peso”. No caso, “um muito acima do peso”. Bem, vendo o cidadão igualmente atracado com um combo mega, meio desnorteado, puxei meu tercinho e comecei a rezar, pedindo a Nossa Senhora que não permitisse que a figura sentasse ao meu lado. O cinema estava vazio, era matinê, tanto lugar, né? Além disso, no cinema que eu vou, o Iguatemicha, o assento é apertadinho, metade do gordo ia transbordar pra cima de mim.

O que aconteceu? O cara mirou na minha direção, engatou um terceira e numa fração de segundos vi que tudo estava perdido. Rapidamente, tentei proteger meu copo de Coca Cola, antecipando um desastre. Nada adiantou. Ele sentou no meu copo (que estava naquele compartimento do braço da poltrona), comprovando a minha suspeita de que ele não ia caber no assento. Resultado da questão: vi o filme todo com a calça encharcada de refrigerante, com a boca ardendo (já experimentou mandar uma pipoca mega pra dentro a seco?) e encolhida na poltrona sentindo meu braço esquerdo ficar dormente e torcendo pra não gangrenar).

PS: se eu não gosto de pessoas gordas? como assim? até parece que você não me conhece!

%d blogueiros gostam disto: